Hot Widget

Type Here to Get Search Results !

Ads

É errado uma mulher casada ter amigos homens?

É errado uma mulher casada ter amigos homens?

Por Miriam Racquel Feldman
Prezada Raquel,

Sou casada e feliz há alguns anos, e meu marido e eu estamos muito comprometidos um com o outro. Mas recentemente, meu marido me pediu para me distanciar dos homens com quem sou amiga. Há um colega de trabalho com quem converso durante o almoço no trabalho; tem um ex-namorado do ensino médio com quem mantenho contato pelas redes sociais; e há um vizinho que encontro quando estou passeando com o cachorro. Não vejo problema nesses relacionamentos e até compartilho as conversas com meu marido. Mas ele me diz que minha amizade com esses homens o deixa desconfortável. Sinto que ele deveria confiar em mim. O que você acha?
Resposta:
Eu entendo sua perturbação. Você adoraria que seu marido a aceitasse como você é e se sentisse seguro de que você não faria nada impróprio fora dos limites do seu casamento. Em um nível filosófico, isso faz sentido; no entanto, seu marido realmente apresentou um bom ponto.
Além do fato de que ele está se sentindo desconfortável e, como cônjuges, tentamos acomodar os sentimentos um do outro, seu marido não deixa de confiar em você; ele está realmente seguindo um conceito da Torá e querendo manter uma cerca em torno da santidade de seu casamento.
A perspectiva da Torá em relação a homens e mulheres é que há uma atração natural, dada por D'us, entre eles. Além disso, há algo chamado ruach shtut, que significa “um espírito de tolice”. Esta não é apenas uma tolice simples de que todos estamos suscetíveis, mas uma que pode anular nosso melhor julgamento. É como se uma força irracional nos agarrasse e nos perdessemos nela. Essa combinação cria uma situação perigosa quando se trata de homens e mulheres saindo juntos.
Talvez você tenha ouvido histórias sobre homens e mulheres normalmente sábios de bons casamentos quebrando a confiança de seu cônjuge para se entregar a um sonho/fantasia que se desfaz imediatamente quando exposto. Muitas vezes, eles não entendem o que pensavam ao ter se engajado nesse tipo de comportamento; eles quebraram toda a integridade e não são esse tipo de pessoa. Eles admitirão que talvez nem entendam que mudança ocorreu com eles. A Torá, o projeto de vida, nos adverte sobre isso e possui leis sobre amizade entre homens e mulheres a fim de nos proteger. Um exemplo são as leis de Yichud em que um homem e uma mulher solteiros não podem ficar juntos isolados em um ambiente privado.
Portanto, mesmo que você seja uma mulher confiável e seu amor por seu marido seja forte, vale a pena diminuir sua amizade com esses outros homens. Você não precisa ser indelicada, mas uma distância formal seria algo sensato. Abandone as conversas desnecessárias. Isso pode parecer estranho e até desconfortável no início, mas reconheça que você está colocando uma cerca em torno da santidade de seu casamento. E se se esses amigos comentarem sobre seu novo comportamento mais distante, você pode falar que seu casamento é muito importante para você e que prefere diminuir suas interações casuais com outros homens. Se eles não entenderem, então deixe estar. Você está sendo um grande modelo ao defender um novo padrão para você e seu marido.
Só mais duas coisas que eu gostaria de acrescentar:
1) Desejo e romance não são a cola que mantém o casamento unido; esses sentimentos vêm e vão. Comprometimento é a cola. Gratidão pelo que você tem e nunca tomando nada como garantido é um vínculo incrível.
O filósofo Alain de Botton diz: “… o modelo romântico clássico nos vendeu uma série de crenças autodestrutivas sobre as experiências mais essenciais e sutis da vida humana: amor, paixão, casamento ….” Ao contrário disso, a filosofia da Torá é duradoura e nunca sai de moda.
2) Cuidado com “comparar e se desesperar”. A mídia social é uma arma carregada. Felizmente, você está feliz em seu casamento. Mas algumas pessoas não estão. E ver fotos de casais felizes nas mídias sociais, além da constante transmissão de casamentos brilhantes, podem enganar a realidade da vida.
Nunca compare o seu interior (desafios, insatisfações, autojulgamentos) com o exterior dos outros. Por mais feliz que um casal pareça — e se D’us quiser, que sejam realmente tão felizes quanto aparentam ser — nunca subestime o esforço que é necessário na vida real para manter um casamento. Atos de bondade, apreciação, compromisso, humildade, conter sua língua, superar suas emoções – tudo isso cria uma parceria saudável e um lar feliz.
Que você continue desfrutando de seu casamento e reconheça a bênção de ter um marido que se preocupa em proteger a santidade de seu lar.

Por Miriam Racquel Feldman
Miriam Racquel Feldman é coaching especialista em relacionamentos. Ela ajuda a capacitar as mulheres a confiarem em si mesmas por meio do conhecimento de seus corpos e intuição. Orientaçnoes sobre casamento, detox de relacionamentos tóxicos, clareza na escolha da profissão além de alívio de dor física e emocional são suas especialidades. Ela também é autora de um livro de memórias: “God Said What!? #MyOrthodoxLife”
&Copy; Copyright, todos os direitos reservados. O conteúdo desta página é fornecido pelo nosso parceiro de conteúdo, Chabad.org. If you enjoyed this article, we encourage you to distribute it further, provided that you comply with Chabad.org's copyright policy.

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

Top Post Ad

Below Post Ad

Ads Section