Hot Widget

Type Here to Get Search Results !

Ads

Gallant diz que '60% dos terroristas do Hamas' foram mortos em operações da IDF

 "Todo o sistema de segurança está determinado a levar à justiça qualquer um que tenha agido contra cidadãos de Israel", disse o ministro da Defesa Yoav Gallant ao plenário do Knesset.

O ministro da Defesa israelense, Yoav Gallant, participa de uma sessão da assembleia no salão plenário do Knesset, o parlamento israelense em Jerusalém

O ministro da Defesa israelense, Yoav Gallant, participa de uma sessão da assembleia no plenário do Knesset, o parlamento israelense em Jerusalém Chaim Goldberg/Flash90

O ministro da Defesa, Yoav Gallant, falou perante o plenário do Knesset na quarta-feira para responder a perguntas dos legisladores, a primeira vez que ele comparece ao parlamento israelense desde o massacre de 7 de outubro.

Respondendo a Amit Halevi, um membro do Likud no Knesset, Gallant abordou o assunto de "frustrar agentes que participaram do massacre de outubro".

"Soldados da IDF têm trabalhado incansavelmente por nove meses na guerra mais justa que conhecemos em toda a nossa existência", disse Gallant. "Soldados da IDF lutaram corajosamente e os pararam durante os primeiros dias, e então moveram a guerra para o território inimigo com um ataque poderoso.

"Digo da maneira mais clara possível: todo o sistema de segurança está decidido a levar à justiça todos e cada um que agiu contra os cidadãos de Israel."

Gallant disse que isso acontecia da mesma forma "seja um terrorista declarado ou um cidadão que participou dessa abominável atividade de assassinato".

Ele prometeu levar à justiça "todos eles, seja por prisão ou eliminação. Há apenas duas opções para essas pessoas - prisão ou cemitério. Não se trata de uma batalha ou guerra - trata-se da pior depravação humana - as ações desses animais humanos, e teremos justiça."

Gallant acrescentou que o princípio moral norteador nas ações de Israel é "se alguém vier para matá-lo, levante-se e mate-o primeiro. Não haverá concessões sobre esta questão. Agiremos de acordo com a lei e a justiça, mas sem esquecer o que nos cabe."

Parlamento
O Ministro da Defesa Yoav Gallant discursa perante o plenário do Knesset Knesset

"Não há refúgio e nenhum lugar seguro para aqueles que participaram do massacre contra cidadãos israelenses, nós os levaremos à justiça", acrescentou Gallant. "As operações da IDF que mataram cerca de 14.000 terroristas e desestabilizaram a infraestrutura do Hamas são, de fato, uma prova do que estou dizendo. Nós atacamos e atingimos terroristas. Tudo será feito de acordo com a lei e de acordo com a necessidade operacional como parte da missão clara. Eventualmente, nós alcançaremos todos eles."

Ele se referiu à questão do recrutamento ultraortodoxo, dizendo que é o resultado de 76 anos de política em evolução. "Está mudando agora, as ordens de recrutamento estão a caminho e serão emitidas nas próximas semanas", disse ele. "Nosso objetivo é recrutar todos que são alistáveis ​​por lei. É assim que trabalhamos. No final das contas, esse processo é gradual. Não aconteceu de uma vez, 76 anos atrás."

Ele chamou isso de "uma mudança dramática que deve ser abençoada. Também aumentará a confiança e a unidade nacional."

Chaim Goldberg/Flash90
Homens ultraortodoxos protestando contra o recrutamento das IDF em Jerusalém Chaim Goldberg/Flash90

"No futuro próximo, emitiremos milhares de ordens", disse ele. "Se precisarmos recrutar 3.000, entendemos que, devido à resposta atual, agiremos de forma gradual... No recrutamento de julho a agosto, emitiremos 3.000 ordens de recrutamento, com a intenção de atingir o máximo."

O parlamentar do Yesh Atid, Meirav Ben-Ari, perguntou a ele sobre a escassez de mão de obra da IDF, ao que ele respondeu que "os últimos nove meses provaram acima de tudo que a IDF precisa de soldados".

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

Top Post Ad

Below Post Ad

Ads Section